segunda-feira, 25 de maio de 2009

Sem Você. (Republicação)

A alegria de estar contigo não pode ser medida,
Por todos é a mais desejada,
És alegre, sincera e adequada,
Não pode ser classificada,
A felicidade reside em nossa morada,
E eu não mereço dela ser afastada,
Como não cairei na dor? Como não seguirei você?
Como acreditar, quando não se crê...
As verdades são inexatas sem você,
Nós íamos mais além,
Nada é pra sempre, sem você.
Procuro outro alguém,
Vou de bar em bar,
Tento me desvencilhar,
Mais acabo te encontrando sem notar,
Às vezes sem querer,
Noutras planejado,
Sempre a sofrer sou malfadado.

Poeminha Publicado em 23 de Dezembro de 2008.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Para sempre minha flor (Ou soneto Nº 54)

Teus olhos já me dizem se é certa ou errada a direção,
E também foram eles que me tomaram o coração,
Vem, aperta e vê se não solta mais a minha mão,
Diga que me ama, e que nada do que fiz foi em vão,

Juntemos corpo e espírito, realidade e sonho,
Ninguém te fará tão feliz, isso eu suponho,
E ela, a sua felicidade é meu único desejo,
O teu sorriso é agora tudo o que almejo,

Esse ensejo que em meu coração brotou,
Aquele beijo quase sem querer aconteceu,
Naquele momento meu coração já te amou,

Aquilo foi o que de mais maravilhoso que ocorreu,
Agora você é meu amor, para sempre minha flor,
Tudo que posso querer, e o que desejo, seja onde for.