sábado, 27 de setembro de 2008

Prosopopéia do amor verdadeiro

Somos-nos a prosopopéia do amor verdadeiro...
O Sentir de estar próximo somos o que há.
Tudo o que não é nós, é apenas o ensaio de uma realidade utópica.
Temos o poder de estar juntos, e isso é o verdadeiro estar.
O resto foi apenas manipulação do impossível,
Produto do inviável, manifestação do que não acontecerá,
A nossa vida é tudo o que seremos e somos,
E nosso amor é o espelho do que seremos,

Amor constante, desejo latente,
Paixão lasciva, desejo incontrolável.
Sentimentos que nós já não controlamos,
E que nem queremos controlar,
Mais que não podemos fugir.
Nem sair desse destino que escolhemos,
Planejamos e cuidamos para que se cumpra,
Mesmo com desejo contrario de muitos,

Nosso amor é real, nada de inconstâncias,
Brigas e desentendimentos abriram portas falsas,
Fechá-las é o que nosso amor fez facilmente,
De um jeito que pode ser até muito atraente,
Mais que em nada se assemelha aos tupinambás,
E isso te falo em verdade. Sem ressentimentos.
Espero que tenha aproveitado, porque depois é só dor.
E querendo ou não, nunca mais sentirá esse calor.

domingo, 21 de setembro de 2008

Eu sei. *

O que faço agora, além de te amar?
Eu pensei que pudesse me enganar,
Mais não, o teu amor me conquistou,
Agora nada mais é suficiente,
Nada mais é derradeiro,
Nada é importante.
Só o seu amor.

Cheguei do teu lado precisando de você,
Mais que uma necessidade você é uma parte de mim,
Antes não via, agora tenho a certeza,
Sinto que não te tenho completamente,
Mais sinto que ainda pode ser totalmente minha,
A distancia do teu sonho se confunde com a nossa certeza,
Mais será que a certeza não é mais vantajosa que o sonho?
O sonho pode ser um pesadelo, e a realidade pode ser perfeita.
Basta você olhar, basta dar atenção ao que você tem.
Olhar para longe não traz o longe para perto.
Olhar ao redor ajuda a melhorar o que temos.

Teus braços estão distantes, sua boca já não vejo.
As palavras compartilhadas não são suficientes.
Quero-te por inteira, toda pra mim, sem divisões.
Quem dividiu nossos corações?
Eles viraram um só e agora parecem milhões,
Só quero você pra mim.


*Homenagem a musica homônima da banda Legião Urbana.
E lembre-se, EU SEI.

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Soneto ao aniversário

Tudo começou meio por acaso, quase sem querer,
Amizade sempre foi sincera, éramos quase dois irmãos,
Isso até uma simples brincadeira juntar nossas mãos,
Desde então sem você por perto não mais consigo viver,

Antes de você achava o amor inofensivo, quase uma distração,
Agora já não quero mais brincar com meu pobre, coração,
Ele pertence a você, nada mais importa apenas sua felicidade,
Com você do meu lado não ligo mais para o mundo e sua maldade

Agora já faz mais de um ano de nosso primeiro beijo,
Despertamos o desejo, e desde então não existe Joseph nem Yasmin,
Sentimentos liberados euforia de um show sertanejo,

Tentei me enganar, mais te amar foi o que restou para mim,
O tempo foi passando e com ele nosso amor foi amadurecendo,
E com ele o companheirismo, a paixão e tudo que o amor foi tecendo.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Soneto de Separação*

Já é fato que não te tenho só para mim,
Vislumbro meu fim, e este, sinto que está próximo,
Olho pra você, e meus olhos não dizem mais sim,
Destruo-me sem você, e isso para mim está ótimo,

A saudade já não dói e o carinho não transmite o amor,
Já consigo me arrepender de ter te dado àquela flor,
Ela foi o sinal da entrega, agora é o sinal da rendição,
Não consigo mais lutar, você virou minha maldição,

És pra mim agora o motivo de não viver, o laço perdido,
O que não tive de bom, o que não quero lembrar,
Já não me orgulho de ser o companheiro que tenho sido,

Tua presença já não é necessária, não preciso mais sofrer,
Hoje me orgulho de não precisar mais te amar,
Enfim, não sinto o menor remorso de não mais te querer.


*Em homenagem ao meu "poetinha" preferido, e ao soneto homônimo que considero um dos melhores que já li. Caso seja publicado, se chamará "Soneto de Homenagem ao fim"

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

É...

Todas as dores que senti, seu olhar foi o culpado,
A minha razão é inútil, meu bem foi ter te amado,
Não lembro de ter dito que você era o motivo,


Mais lembro de quando esqueci das outras razões,
Nada mais é suficientemente bom, só não quero te perder,
Dependo da tua existência para ter felicidade para viver,
E assim consigo enganar o destino, e não pereço em emoções,
Teu amor é o complemento que falta ao meu inanimado ser,
Gosto de tudo em você, até o que não é bom,


Teus atos, tuas ações, tuas infindáveis mudanças,
Nada consegue ser mais completo que o mundo com você,
Teus beijos, visões do belo, teus carinhos, fim do que é mal,
Não preciso de complementos, pois tenho os teus braços,
Somos iguais na paixão, a minha imagem já tem os teus traços,
Digo-lhe que sou teu, e recompensa não peço enfim.
Não quero nada alem do teu amor, ele basta para mim.