terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

O mar e o sol

Como o mar a admirar o sol eu sigo a te esperar,
Admiro, sonho, suspiro, às até vezes quase posso te tocar,
Assim como o sol você tem todo o calor de que preciso,
Você chega e se vai, sua ida é como a noite, fria e deserta,
A cama vazia, o coração cheio de saudade, a dor é certa,
De longe, chega a ser uma maldade teu sorriso, teu olhar,
Um pensamento, uma foto, uma lembrança a maltratar,
A minha vivencia, a tua inocência, tudo parece se encaixar,
Penso nos teus braços como um acalanto, um cessar do meu pranto,
Penso em meus abraços como uma proteção, uma arma, um manto,
Teu cheiro é um torpor, teu beijo um frescor, teu corpo um calor,
A música as lembranças, a saudade, tudo me leva a você,
Menos o tempo, menos o destino, menos você, menos seu amor.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Madrugada


É tarde, não consigo dormir, a saudade fere meu peito,
Desconheço a felicidade, a nostalgia hoje mora em meu leito,
Feneço em meio às lembranças, queria conseguir esquecer,
Porem a cada dia tua lembrança fica mais presente,
E ela se amplifica a cada segundo teu ausente, é uma tortura,
A madrugada é dura, cada segundo é uma infinita espera,
Você me persegue até nos sonhos, e mesmo neles me despreza,
E neles, mesmo sem esperança, minha alma por você reza,
Às vezes consegue nos teus braços deitar e descansar,
Porem ao acordar olho pro lado e você lá não está,
Os sonhos viram pesadelos, tudo é triste onde quer que eu vá,      
Por mais que eu tente, não consigo te esquecer, só consigo te amar.