sexta-feira, 30 de abril de 2010

Sonhos

Extasiado com teu abraço desfaço minha tristeza,
No egoísmo de te ter pra mim, me faço em avareza,
Tenho inveja até do sol que pode sempre te tocar,
Do vento que todos os dias vagarosamente segue a te beijar,
Sem ao menos aproveitar o doce sabor que ele possui,
Esse, que eu não esqueço nem nos mais amargos pesadelos,
Sonho com eles todos os dias, não há como esquecê-los,
Perde-los foi meu maior erro, e da sentença tento fugir,
Estar sem você por perto é minha perdição, não sei onde ir,
Não existe certo nem errado, tudo é a mesma monotonia,
Quando olho pra você só penso em recuperar minha alegria,
Amar e sentir você me amando, nem que seja só mais uma vez.

.

Poeminha II

Vem comigo, esquece o que até o tempo já esqueceu,
Vem, toma de volta esse amor que sabes que é todo seu,
Em nossa volta o mundo ainda exala amor, parece natural,
As lembranças boas podem de novo virar rotina, um sonho real,
Traz ao meu mundo de volta toda a cor, esquece o que passou,
Esquece a dor que um dia te causei, segue comigo onde eu for,
Esquece o mundo, esquece tudo, vem ser de novo a minha flor,
Traz esse perfume sem o qual eu não consigo viver, por favor.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Poesia Sem Titulo IV

Olho para você com a admiração e o amor que sempre tive,
Agora você esta longe, seu coração ficou distante do meu,
Seu corpo mais ainda, ele é o templo para qual emudeço,
Teu beijo é para mim a utopia cada vez mais distante,
A tristeza é tão profunda, nem lembro como é a felicidade
Quando sinto teu abraço nem que seja por um instante,
Quando em um fraquejo seu, sinto o calor do teu beijo,
A sensação é indescritível, não existem adjetivos suficientes,
Chego a perder a lucidez, embriagar-me com teu cheiro,
Esquecer a razão e enganar o coração em tão pouco tempo,
Nesses segundos minha vida volta a ter um pouco de sentido,
Lembro de toda a felicidade que existiu, um passado esquecido,
Mas que pra mim é vivo, ainda sonho em descansar no seu leito,
O seu amor se esvaiu, mas o meu que ainda grita em meu peito.
.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Samba pra Distrair XXIV

Papel Pincipal
Almir Guineto / Luverci Ernesto / Dedé Pataiso

Se eu fizesse o papel Principal, nos teus sonhos
Ah!O final ia mudar
Sonharias sem parar
Não teria pesadelos
Expulsava teus delírios
Desmanchava-me em zelos
Pra cuidar dos teus suspiros
E comigo sonharias, só comigo amor...

Teus olhos me passam relatos de fácil leitura
Me revelam teus hiatos
De afeição nas aventuras
Me contam que a velha saudade ainda te guia
Não te traz felicidade
Um amor a cada dia

.

domingo, 25 de abril de 2010

Poesia pra Flor II

Meu olhar só se encanta com o teu,
Pode o tempo passar, o meu amor ainda é todo seu,
Só isso não muda, a saudade não estanca, não ameniza,
Ao te ver a vontade que tenho é de para o mundo gritar,
Que te amo muito, e que para todo o sempre vou te amar,
Mas tenho que me segurar, e me contento em só te olhar,
Quando te abraço sinto explodir em mim o verdadeiro amor,
O amor, que só sinto por você, minha amada e linda flor.

.

Muito rimadinho eu sei, mas idai?

quinta-feira, 15 de abril de 2010

...

O tempo passa, o corpo vez ou outra esquece,
A mente? ah, essa sempre padece,
O coração? de saudade constantemente perece,
O amor? esse teima, e ainda permanece.
O tempo passa, a ferida finge que cicatriza,
A dor não passa, não vai embora, só ameniza,
Você levou consigo a felicidade,
Levou também quase tudo que tinha de bom,
Não há sorrisos, Minha voz não tem nem som,
Toda a beleza estava naquela doce e linda flor,
Aquela, que quando se foi só deixou tristeza e dor.

"Quem diria que por uma flor, um jardim inteiro morresse."

Soneto da madrugada III

Não consigo fingir, estou quase morto,
Viver assim certamente não é viver,
Minha alma só descansa no teu corpo,
No teu abraço, só ele me dá prazer,

Só em te olhar já me sinto novamente completo,
Você do meu lado, de amor me sinto repleto,
Cheio de paixão, É inútil negar, tampouco disfarçar,
Meu coração transborda, nota-se em meu olhar,

Quando te toco brotam sonetos em minha mente,
A poesia triste, diferente do que era, tão contente,
Tudo é triste, as musicas lembram um tempo bom,

Tempos que se foram, aqueles que os sambas tinham tom,
Que o amor imperava, que tristeza nem perto chegava,
Tempos de paixão, tempos que o seu coração, o meu adorava,

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Poesia Sem Titulo (complemento das flores)

Oi meu amor, esses versos são pra dizer,
O quanto sua partida me fez sofrer,
Que a saudade não me deixa viver,
A tristeza antes distante virou sina
A poesia métrica já virou prosa,
Que já murchou aquela rosa,
E o samba não tem mais rima,
Nem ritmo, harmonia ou tom,
Você levou tudo que era bom,
Só ficaram as marcas de batom,
A eterna cicatriz em meu peito,
Já não sei nem mesmo pensar direito,
Queria você aqui de qualquer jeito,
Preenchendo esse lugar vazio a mesa,
Só assim esqueceria essa tristeza,
Só assim enfim viveria novamente.
E encontraria a felicidade eternamente.


Poesia Incindental - Sem nome.
"Você é minha flor, a mais linda do jardim, a flor que eu mais quero,
Receba esse presente sincero, como um sinal de quase desespero,
Que cada pétala sussurre ao seu ouvido um “eu te amo” sincero,
Que o perfume te lembre o aroma da nossa antiga paixão,
Que elas lhe façam suspirar, como eu sempre suspiro por você,
Eu só lembro-me de você linda e feliz ao meu lado, então faço um pedido,
Guarde sua imagem mais bela, mesmo quando o tempo as murcharem."

.

Soneto a Minha Flor VIII

Quando te vejo não consigo decifrar se é real, sonho ou ilusão,
Mesmo você querendo, ficar longe de você já não consigo,
Por mais que fuja, teu corpo ainda é meu melhor abrigo,
Não consigo me desvencilhar, a paixão me embriaga o coração,

O meu jardim agora é só tristeza, não há aquela que era a razão,
Por mais que eu tente, nada é completo, nada traz emoção,
É tudo uma falsa alegria, sorrisos falsos, mentiras, nada é real,
É mais que paixão, Meu amor por você não é só carnal,

Minha flor, sem você meu peito é só dor, dia sem luz, vida sem cor,
O gelo da saudade quase me mata, tudo é muito frio sem teu calor,
Não há felicidade, ela só existe nos seus braços, teu beijo e abraço,

A saudade sempre me traz você, ainda é por você tudo que faço,
Teu amor era minha vida, agora é um delírio às vezes até inconsciente
Mesmo que tente fugir, em sua vida estarei sempre presente.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Soneto a minha flor VII

A dor vai te mostrar que eu não sei o que é fingir,
Quando você olhar para o lado e eu não sorrir,
Quando você sentir que o amor não é nada eterno
Com você estava no céu, e hoje visito o inferno,

Minha flor o seu perfume ainda esta na minha porta,
A saudade é uma espada que corta com fino ardor,
Sentimento nefasto, cruel, minha alma já és morta,
Fria e pálida, Quando se foi levaste todo o meu calor,

Fico parado esperando o alvorecer da sua chegada,
Por enquanto é só noite nessa triste existência magoada,
Até meu coração me esqueceu, ele junto com você partiu,

Não consigo fugir desse amor que há tempos surgiu,
Amiga e amante, não há mais como desvencilhar,
O tempo pode passar, posso até fingir, mas só sei te amar.

Parnasiano level 154...

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Samba pra distrair XXIII

O Show Tem Que Continuar
Arlindo Cruz/Sombrinha/Luiz Carlos da Vila

Teu choro já não toca meu bandolim
Diz que minha voz sufoca teu violão
Afrouxaram-se as cordas e assim desafina
Que pobre das rimas da nossa canção
Hoje somos folha morta
Metais em surdina
Fechada a cortina Vazio o salão

Se os duetos não se encontram mais
E os solos perderam a emoção
Se acabou o gás
Pra cantar o mais simples refrão

Se a gente nota
Que uma só nota
Já nos esgota
O show perde a razão

Mas iremos achar o tom
Um acorde com lindo som
E fazer com que fique bom
Outra vez o nosso cantar
E a gente vai ser feliz
Olha nós outra vez no ar
O show tem que continuar

Nós iremos até Paris
Arrasar no Olímpia
O show tem que continuar

Olha o povo pedindo bis
Os ingressos vão se esgotar
O show tem que continuar

Todo mundo que hoje diz
Acabou vai se admirar
Nosso amor vai continuar

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Paixão, amor e saudade.

O amor sempre acaba, o tempo só o estraga,
A paixão é só uma mera ilusão, entorpece a alma,
Ceifa toda a calma, nos leva ao céu, é o inicio,
Prepara a alma para o amor, tudo fica sendo pra agora,
Quando ele chega tudo devora, a razão se apavora,
O orgulho se amedronta, e tudo mais vai embora
A paixão sempre é o inicio da historia, e da perdição,
O amor acaba com a tranqüilidade, maltrata o coração,
A saudade vem logo após, é o pior dos sentimentos,
Prolonga a dor, Deixa triste todos os momentos,
Segundos viram dias, e os dias, anos ou séculos,
A saudade fragiliza o que se diz mais forte,
Faz com que esqueçamos a vida, e desejemos a morte.

.

Samba pra distrair XX

Quando Chegares
Carlos Lyra

Quando chegares aqui
Podes entrar sem bater
Ligue a vitrola baixinho
Espera o anoitecer

Logo que ouvires meus passos
Corre pra me receber
Sorri, me beija e me abraça
Não me perguntes por quê

Quando estiver em teus braços
Pensa somente em nós dois
Fecha de leve os teus olhos
E abre os teus lábios depois

E quando já for bem cedinho
Não quero ouvir tua voz
Sai sem adeus, de mansinho
Esquece o que ouve entre nós

Ainda.

Penso em você no passado como algo em meu futuro,
Mesmo que seja algo distante, como um tiro no escuro,
Sem direção, sem pontaria, mas querendo sempre te acertar,
O tempo passou, e eu continuo sabendo apenas te amar,
Mesmo distante, continuo te vendo em quase todo o lugar,
Escuto nossas musicas, passeio em nossos lugares,
Sem querer procuro você, sem querer vivo nossas vidas,
Nessas idas e vindas, relembro nossas historias esquecidas,
E nos meus sonhos ainda estás ao meu lado, sempre linda,
Quando te vejo, mal consigo respirar, fico meio irracional,
Olho pra você, e sinto o meu coração acelerar, é quase fatal,
Nos seus olhos vejo que nossa historia não chegou ao final.


não é primeiro de abril...