quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Poema ao Encontro

Ontem estava triste, meu olhar denunciava,
Olhei nos teus olhos, meu coração saltitava,
Abracei-te, senti teu peito junto ao meu,
Eles bateram juntos, na sintonia de outrora,
É triste, mas meu amor no seu peito ainda mora,
Seu sorriso ainda me faz sorrir, me faz feliz,
Teu olhar só me faz pensar em nós, juntos,
A tristeza sem você no meu peito é senhora,
Você se foi e meu corpo inteiro por você implora,
O que não sabes é que pra recomeçar não há hora,
Sem pensar falo coisas que meu coração deseja,
Estar ao teu lado é tudo que minha alma almeja.

Poeminha

Mesmo distante ainda sinto teu calor,
Sonho com teus beijos, com teu amor,
E tudo o que posso fazer é te olhar.

Imagino teus abraços, sigo teus passos,
Estreito os nossos laços, tentando disfarçar,
E me contento em te olhar,

Pensando em você me afogo em nostalgia,
E na realidade já não tenho alegria,
E quase não agüento te olhar,

Desde que te vi nada mais foi igual,
Às vezes dói mais que o normal,
E não suporto somente te olhar.

Sonhar contigo

Ontem eu dormi mais cedo, de sonhar contigo perdi o medo,
A realidade ainda é distante, e nos sonhos você está tão perto,
Está comigo a todo instante, pra mim, estar com você é o certo,
Olhar pra você é sentir o amor, depois te abraçar e esquecer a dor,
Olhar pro céu e ver sua cor, a luz que outrora havia apagado,
O amor que pensei ter acabado, mas que a cada dia se vê renovado,
Não te via, e isso em minha alma doía, o amor ofendia,
E nada eu podia fazer, apenas esperar, quem sabe um dia superar,
Esquecer essa nostalgia, e quem sabe essa ferida enfim cicatrizar...

uma chance

Apenas uma chance, uma daquelas que o coração manda dar,
Aquelas que o amor verdadeiro não te deixará tão fácil negar,
Se fosse um mero engano, teria morrido e facilmente esquecido,
Mas é amor, daqueles sem raça nem cor, dos que é para ser vivido,
Teu cheiro, tua voz, teu toque, tudo em você parece um tiro certeiro,
Mesmo que tente diferente é em vão, és tu que penso primeiro,
Quando te vejo fico tenso, não sei como agir, dessa paixão sou escravo,
Parece mentira, ou que seu amor em meu peito sem querer cravo,
Meu leito triste lembra de quando nele você sorriu, e hoje é só tristeza,
Só nos sonhos você chega com toda a meiguice, esse jeito de mulher,
“Meu amor” parece que foi ontem que você me disse quase sem querer,
Meu amor teimoso ainda me leva a te amar, e por isso a sofrer,
Hoje sem querer sou seu amor, e a esperança não me deixa desistir,
E ela também me diz que somente juntos saberemos aonde ir.

Essa Lua que nos Persegue (ou soneto 62)

”Essa lua parece que nos persegue” você sutilmente me falou,
Ainda hoje olhamos para ela juntos, depois se foi e me deixou,
Sem rumo pela noite te procurei, em outros braços te encontrei,
Ensandecido pairando em versos sem razão, na solidão mergulhei,

Você, linda, diz que não me esqueceu e que quem errou fui eu,
Nada mudará o passado, mas tudo pode ser perfeito no futuro,
Ainda vejo no seu olhar o amor, e ele é do tamanho do meu,
Fingi alegria em dias angustiosos, mas só com teu abraço me curo,

Hoje com meu remédio tive segundos de alegria, mas de novo desfaleço,
Do mundo me esqueço, e novamente só lembro de você, pretinha,
De quando era só minha, e hoje até sei que essa dor eu mereço,

No papel escrevo como há tempos não escrevia, assim sem querer feneço
Dói ver mais um poema ser jogado na latrina, já que não és mais minha menina,
Um mês longe só multiplicou a saudade, não te esqueci, esse amor ainda me alucina.

Soneto Nº 61

Às vezes fico pensando onde estava minha razão ao te seguir,
Acho que estava completamente perdido, não sabia pra onde ir,
Você me deu a mão na hora certa, mas era a pessoa errada,
Tentei fugir, mas teimei em cair de novo na sua estrada,

Por você fiquei calado, e até fiz samba, soneto, prosa e verso,
Agora nada resta de nós e nesse lago de saudade estou imerso,
Não respiro, não me mexo, nem se quer penso, é muito triste,
Esse amor, essa dor, essa paixão que irracionalmente persiste,

Melancolia e amargura viraram rotina, felicidade uma raridade,
Seu lindo sorriso salvava meu mundo, era o motivo do meu,
Nosso sentimento ainda vivo foi sufocado pela sua maldade

Contudo meu amor ainda bate em meu peito, ele ainda sente o seu,
Abandonaste o coração, esqueceste da razão, ao nada se entregou,
Esse novo amor, coitado, um dia verá que você apenas o usou.