quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Soneto Nº 62

Já faz tempo que eu te quero, e você bem sabe
Quero mostrar um sentimento que nem me cabe.
Sentimento que, ao te ver, transborda a alma,
Paixão, emoção que sem querer tira toda a calma,


Escrevo sem esperança de te ter pra mim,
Durmo querendo sonhar e não te perder,
Acordo e te procuro, não te vejo, é triste assim,
O dia passa e esse querer não passa, só faz arder,


Ao te ver, tento teimoso e inutilmente até disfarçar,
Mas teu sorriso me deixa fraco, me pego a te admirar,
O destino desistiu de ajudar, teima em dificultar,


Porem nessa vida nada nem ninguém vai atrapalhar,
Vou a todos driblar, a felicidade de novo te trazer,
Vou te amar, e fazer você mais nada querer.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Poema ao Encontro

Ontem estava triste, meu olhar denunciava,
Olhei nos teus olhos, meu coração saltitava,
Abracei-te, senti teu peito junto ao meu,
Eles bateram juntos, na sintonia de outrora,
É triste, mas meu amor no seu peito ainda mora,
Seu sorriso ainda me faz sorrir, me faz feliz,
Teu olhar só me faz pensar em nós, juntos,
A tristeza sem você no meu peito é senhora,
Você se foi e meu corpo inteiro por você implora,
O que não sabes é que pra recomeçar não há hora,
Sem pensar falo coisas que meu coração deseja,
Estar ao teu lado é tudo que minha alma almeja.

Poeminha

Mesmo distante ainda sinto teu calor,
Sonho com teus beijos, com teu amor,
E tudo o que posso fazer é te olhar.

Imagino teus abraços, sigo teus passos,
Estreito os nossos laços, tentando disfarçar,
E me contento em te olhar,

Pensando em você me afogo em nostalgia,
E na realidade já não tenho alegria,
E quase não agüento te olhar,

Desde que te vi nada mais foi igual,
Às vezes dói mais que o normal,
E não suporto somente te olhar.

Sonhar contigo

Ontem eu dormi mais cedo, de sonhar contigo perdi o medo,
A realidade ainda é distante, e nos sonhos você está tão perto,
Está comigo a todo instante, pra mim, estar com você é o certo,
Olhar pra você é sentir o amor, depois te abraçar e esquecer a dor,
Olhar pro céu e ver sua cor, a luz que outrora havia apagado,
O amor que pensei ter acabado, mas que a cada dia se vê renovado,
Não te via, e isso em minha alma doía, o amor ofendia,
E nada eu podia fazer, apenas esperar, quem sabe um dia superar,
Esquecer essa nostalgia, e quem sabe essa ferida enfim cicatrizar...

uma chance

Apenas uma chance, uma daquelas que o coração manda dar,
Aquelas que o amor verdadeiro não te deixará tão fácil negar,
Se fosse um mero engano, teria morrido e facilmente esquecido,
Mas é amor, daqueles sem raça nem cor, dos que é para ser vivido,
Teu cheiro, tua voz, teu toque, tudo em você parece um tiro certeiro,
Mesmo que tente diferente é em vão, és tu que penso primeiro,
Quando te vejo fico tenso, não sei como agir, dessa paixão sou escravo,
Parece mentira, ou que seu amor em meu peito sem querer cravo,
Meu leito triste lembra de quando nele você sorriu, e hoje é só tristeza,
Só nos sonhos você chega com toda a meiguice, esse jeito de mulher,
“Meu amor” parece que foi ontem que você me disse quase sem querer,
Meu amor teimoso ainda me leva a te amar, e por isso a sofrer,
Hoje sem querer sou seu amor, e a esperança não me deixa desistir,
E ela também me diz que somente juntos saberemos aonde ir.

Essa Lua que nos Persegue (ou soneto 62)

”Essa lua parece que nos persegue” você sutilmente me falou,
Ainda hoje olhamos para ela juntos, depois se foi e me deixou,
Sem rumo pela noite te procurei, em outros braços te encontrei,
Ensandecido pairando em versos sem razão, na solidão mergulhei,

Você, linda, diz que não me esqueceu e que quem errou fui eu,
Nada mudará o passado, mas tudo pode ser perfeito no futuro,
Ainda vejo no seu olhar o amor, e ele é do tamanho do meu,
Fingi alegria em dias angustiosos, mas só com teu abraço me curo,

Hoje com meu remédio tive segundos de alegria, mas de novo desfaleço,
Do mundo me esqueço, e novamente só lembro de você, pretinha,
De quando era só minha, e hoje até sei que essa dor eu mereço,

No papel escrevo como há tempos não escrevia, assim sem querer feneço
Dói ver mais um poema ser jogado na latrina, já que não és mais minha menina,
Um mês longe só multiplicou a saudade, não te esqueci, esse amor ainda me alucina.

Soneto Nº 61

Às vezes fico pensando onde estava minha razão ao te seguir,
Acho que estava completamente perdido, não sabia pra onde ir,
Você me deu a mão na hora certa, mas era a pessoa errada,
Tentei fugir, mas teimei em cair de novo na sua estrada,

Por você fiquei calado, e até fiz samba, soneto, prosa e verso,
Agora nada resta de nós e nesse lago de saudade estou imerso,
Não respiro, não me mexo, nem se quer penso, é muito triste,
Esse amor, essa dor, essa paixão que irracionalmente persiste,

Melancolia e amargura viraram rotina, felicidade uma raridade,
Seu lindo sorriso salvava meu mundo, era o motivo do meu,
Nosso sentimento ainda vivo foi sufocado pela sua maldade

Contudo meu amor ainda bate em meu peito, ele ainda sente o seu,
Abandonaste o coração, esqueceste da razão, ao nada se entregou,
Esse novo amor, coitado, um dia verá que você apenas o usou.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Soneto Nº 60

Quantas vezes disse pra mim mesmo que nunca iria desistir,
Já falei pra você, que meu caminho era pra sempre te seguir,
Desistir pode não ser corajoso, nesse caso é afogar as ilusões,
Sem querer pode ser o remédio para os nossos feridos corações,

Pense como olhar para o céu e não ver o mesmo horizonte,
Respirar fundo e não sentir o às vezes gasto e rarefeito ar,
Não é muito saudável beber sempre da mesma fonte,
Até o beija flor procura outros néctares, ele sabe voar,

Nós também devemos saber voar, e ir atrás de outras flores,
Sofrer por outros rancores, e até amar outros amores,
Assim como nada é imutável, o coração não ficará trancado,

Na vida sempre é preciso trocar o que está desgastado,
Consertar o que está quebrado, e quando não á restauração,
Recomeçar, olhar para frente e tentar renovar o coração.

.Arre diacho

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Soneto ao sonho (ou sonho em soneto)

Ainda ontem tive um sonho bom, nele ficávamos bem,
A vida não tinha escurecido, da tristeza estávamos aquém,
Via nos seus olhos o amor, sentia ele no seu abraço,
Não se via uma lágrima, só havia felicidade a cada passo,

Nessa utopia, nosso coração exalava a perfeita paixão,
Nessa noite fugi um pouco do açoite da realidade,
Tentei não acordar, queria viver pra sempre nessa ilusão,
A manhã chegou e eu só queria mais um pouco de felicidade,

No despertar, o sol não tinha luz, a cama estava vazia,
As lágrimas voltaram, procurei aquele sorriso que se via,
Até fechei novamente os olhos procurando de novo adormecer,

Mas meus olhos molhados não conseguiram de novo dormir,
Você quem dá cor ao mundo, queria dessa penumbra fugir,
Quero você de volta, ou quem sabe poder te esquecer.
.

No mundo caido

Sem você, perdi completamente o caminho,
As flores se foram e só me restou o espinho,
A falta do teu carinho, teu beijo, teu aninho,
O meu amor continua infinito, inalterado,
O seu chegou ao fim e só há sofrimento em mim,
Sem você tento seguir, e a solidão domina,
Lembranças que já não fazem sentido,
Só queria que daqui você não tivesse saído,
No mundo caído, do amor esquecido.

sábado, 7 de agosto de 2010

Presente

Rabisco teu risco procurando a utopia da perfeição,
Só não vi que você é o desenho perfeito, obra prima,
Peço felicidade e meu coração sempre mostra teu rosto,
O amor nos escolheu, e eu o eleito, faço desse amor a vida,
Peguei uma passagem só de ida pra nossa paixão,
Nessa viagem encontrei a razão da minha existência,
É o nosso jeito de amar, o nosso jeito de esquecer o mundo,
Basta um segundo, o tempo para, o coração dispara,
O corpo quase não reage de tanto prazer, é tão bom te ver,
Não te tenho aqui, mas te carrego nos sonhos, nos pensamentos...
Todos os dias, você está presente em todos os momentos.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Soneto à pretinha

Meu coração reaprendeu a amar, e disso tinha enorme medo,
O amor nunca foi bom para mim, não queria sofrer tão cedo,
Mas você chegou com seu jeitinho, me deu tanto carinho,
Aprendi a não ser tão egoísta, já não sou tão mesquinho,

Você é tão linda que às vezes tenho duvidas se é mesmo real,
Seu olhar, seu sorriso, teu corpo, seus beijos, tudo é tão perfeito,
Todas as noites sonho com você dormindo no meu leito,
Quase posso ver você acordando com aquele sorriso angelical,

Dizendo “bom dia amor”, fazendo meu mundo completo,
Você comigo é uma benção, e é tão bom te ter perto,
Nunca quero te perder, seria ver meu mundo desmoronar,

Ele só tem razão quando se tem alguém a quem amar,
Só a sentido se for assim, quero que seja só minha,
Meu amor, minha lindinha, para sempre minha pretinha.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Monóico*

Estou completamente entregue, não sigo mais nem meus passos,
Quero pra sempre delirar nos teus beijos, me perder nos teus abraços,
Teu corpo é o meu desejo, o maior deles, o que não consigo fugir,
O meu vive ansioso por te encontrar, e o encontro é uma explosão,

Minhas mãos passeiam no teu seio, a paixão embriaga o coração,
Meus dedos por ti navegam, os corpos se esfregam, é a dança do amor,
A excitação invade, é tudo torpor, não existe dor, e o prazer é real,

A respiração fica incontrolável, o mundo para por alguns minutos,

O tempo passa e o corpo insaciável só pensa em mais prazer,
Depois de tudo, gritos e sussurros, idas e vindas, voltamos a viver.


Musica homonima de Nando Reis

Falta.

O vento toca sua pele, e dele sinto uma enorme inveja,
Ele não sente o amor que sinto, não merece tal privilegio,
Deixar um amor passar assim chega a ser sacrilégio,
Os dias passam, as horas se arrastam e você não está aqui,
E aqui também não há amor, e nem sinal de felicidade,
A solidão é minha melhor companheira, e só, permaneço,
Não é fugir, é que nada mais tem graça na cidade,
Você era a razão do meu riso, e agora do meu pranto,
Agora tudo são lagrimas, e rapidamente Feneço,
Inutilmente te chamo, preciso do teu acalanto,
Sua voz que penetra na minha alma como navalha,
Essa tatuagem que o teu amor no meu peito entalha,
“E meu coração segue, faltando um pedaço”
.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Errei

Errei,
Passei do ponto, dei um golpe na felicidade,
Despetalei a rosa que te dei, agi com falsidade,
Estou perdido, pois não quero apenas amizade,
Hoje arrependido não vejo mais nem cor no céu,
Não sinto o sabor da vida, tudo é um insalubre fel,
Sinto falta do teu beijo doce com sabor de mel,
Do teu abraço que abraça até a minha alma,
Tua voz que devolve e renova minha calma,
Você de volta, seria recuperar a felicidade ausente,
Os erros são passado, o amor, sempre presente.

Cor do pecado

Você foi desenhada para mim, para o amor,
Todos os detalhes, qualidades e defeitos,
Você provoca em mim os mais variados efeitos,
Sua cor do pecado, que me deixa fascinado,
Encantado, quase desesperado de tanta paixão,
Seu sorriso nada inocente, seu olhar quase indecente,
Sua voz lembra-me um anjo ao me chamar de amor,
Seu toque que me provoca incontrolável ardor,
Ao te ver, coração dispara e de paixão fico entorpecido,
Confesso que fico completamente perdido,
Emudecido, seduzido com tamanha beleza,
Só consigo pensar nos teus beijos e carinhos,
Esqueço de tudo, dos jardins, suas flores e espinhos,
Esqueço também a solidão que dominava meu coração,
Hoje não há nada a não ser o amor, a paixão.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Tudo virou nada.

A saudade já passou do ponto, já é mais que um sentimento,
Mesmo te vendo, isso é pouco, te quero a todo o momento,
Dia, noite, tarde e madrugada, a qualquer hora ou lugar,
Não te vejo fora da minha estrada, é com você que quero estar,
Nada mais é remédio, as dores só cessam ao te tocar,
Nada é feliz, as cores simplesmente não existem sem teu olhar,
Tudo não passa de vazio, tudo vira uma palavra sem sentido,
Isso porque tudo me lembra você, e você não está aqui.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Sem título.

A saudade é um dos sentimentos mais cruéis, se não o mais,
Quando não esta aqui, quero morrer, queria eu ir para onde vais,
Assim não da pra ser, o amor era pra ser um sentimento bom,
Não deveria provocar tamanha dor, não deveria ser assim,
Mesmo longe você ainda continua sendo o céu para mim,
De nada adianta chorar, gritar ou para deus pedir, é inútil,
O que eu quero é real, verdadeiro, é você aqui do meu lado,
Quero te dar amor, ser teu amor, te mostrar o que é o amor,
Livrar-te da dor e dos sentimentos falsos do mundo,
Mostrar-te o que é esse sentimento, e dele ir ao fundo.

.

Soneto ao amor

Perdido, essa é a palavra, esse é o sentimento,
A tristeza fez morada, não é só um momento,
A dor às vezes de tão forte me faz perder o ar,
É uma pena, por que nem sempre sofrer é amar,

O amor tende a ser feliz, não é quem sofre mais,
É uma comunhão, prazer, um navio em um cais,
Um encaixe perfeito, o fogo ardendo sem doer,
É estar triste sorrindo, se achar sem se perder,

Disseram que “amor só é bom se doer”, agora discordo,
O amor bom é aquele perfeito, E com isso concordo,
Sem lagrimas, dores, tristeza ou penumbra alguma,

Um sentimento tão grande só pode se perfeito, completo,
Tem que ser feliz, não te consumir e sim te deixar repleto,
Concluindo, assim me sinto ao teu lado, sem dor nenhuma.

Arre diacho.

Perdi o Tom.

Hoje perdi o tom,
Esqueci tudo o que havia de bom,
Despetalei as flores, me apeguei as dores,
Apresentei a mim mesmo o inferno,
Ele não tão ruim, é até meio terno,
Principalmente se comparado com agora,
Agora que estou assim, só,
Agora que desse amor só restou o pó,
Aqui estou sem razão nenhuma,
Uma cerveja na mão e sanidade alguma,
Versos no papel, e paixões, apenas uma.

Samba pra Distrair XXVII

Em Nome da Alegria
Zeca Pagodinho / Almir Guineto / Carlos Senna

Quando ao teu lado eu despertar
Te abraçar e te possuir
Fazer o bem e esquecer teu mal
Te ver sonhar sem me iludir
Eu viverei feliz e confiante
Galante, herói e vencedor
Viva o bem e a paz em paz
Pois só lutando se tem paz no amor
Viva o bem que a paz nos traz
O amor que cura o mal do dissabor

Não vou mudar o meu jeito
Porque teus defeitos
Vão de encontro aos meus também
Bem comparando, aproveito liberto meu peito
Meu jeito e muito além

Mas mesmo assim eu te aceito
Ninguém é perfeito
Nada é de ninguém

Mas se Deus em nome da alegria
Me desse os olhos teus
Pra minha companhia

Teu corpo

Já não há dor, já não há incompreensão,
O céu tem cor, já não só bate o coração,
Hoje ele tem uma razão, um motivo;
Viver, agora não é somente estar vivo,
Não há dor, e vejo na beleza do teu olhar,
Vejo com clareza, é só do teu lado estar,
Teu abraço me devolve as forças perdidas,
Cicatriza as feridas outrora sofridas,
Teu beijo é o mais doce dos bálsamos,
Teus olhos sem querer me hipnotizam,
Teu sorriso é tudo que quero ver,
Teu cheiro me embriaga de paixão,
Teu corpo é minha perdição, e meu paraíso.

.

Sonho real.

Ainda sinto em mim teu calor,
Minha cama ainda tem o teu cheiro,
Você sempre me visita nos meus sonhos,
Neles ainda posso te tocar, neles ainda te vejo,
Suspirando de amor, fazendo do mundo só nosso,
Delirando enquanto misturamos nosso suor,
Fantasiando loucuras, e porque não as realizando?
Superando as angustias, e porque não as esquecendo?
Teu corpo é um templo no qual eu quero me perder,
Beijando cada centímetro, esquadrinhando-o,
Sentido cada forma, contemplando-o,
O tesouro que eu, de prazer, quase desfaleço.


Especialmente para você, que desperta em mim os mais diversos sentimentos, minha Pretinha linda =*
.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Pecado

Pecado,
Pecado é deixar você longe de mim,
Pecado é me ver tão triste assim
A falta de pecado é que me deixa assim,
Quero sentir teu corpo no meu,
Volta que eu sou todo teu,
Saciar e ser saciado com seu calor,
Vem que te faço esquecer a dor,
Vem que eu te mostro o que é amor,
Ver-te assim linda e sozinha é uma tentação,
Vem que já me levaste o coração,
Volta pra onde jamais deveria ter saído,
Volta que me sinto como se tivesse morrido.

À lua que te ilumina.

Felicidade salta ao te ver, euforia ao te tocar,
Explosão de emoção que embriaga o coração,
Essa paixão que me faz te procurar, e faz perder a calma,
Olho pra você e ainda sinto o calor daquela chama,
Teu sorriso é tão lindo quanto à lua que nos iluminava,
Ela sente inveja de tanta beleza, joga sua luz para iluminar,
E clareia forte tentando inutilmente sua beleza ofuscar,
Mal sabe ela que ao te iluminar, ressalta sua beleza,
E sigo te olhando, cada dia mais maravilhado,
Mais encantando, e porque não, mais apaixonado.

.

domingo, 25 de julho de 2010

Soneto da madrugada IV

Versos simples, é só o que eu posso te oferecer,
Poemas singelos, alguns bons outros nem tanto,
Queria o mundo te dar, mas é isso que sei fazer,
Nessas palavras ternas é onde escondo meu pranto,

Meu riso só existe com o seu, beleza admirável,
Teu sorriso também despertou em mim essa paixão,
Que hoje é muito intenso, quase incontrolável,
Os erros diante dele viram pó, e dói tanto o teu não,

Estar com você entorpece a corpo e acalma o coração,
Quando estamos juntos nenhum segundo é em vão,
A beleza em você é só um detalhe, e você é tão linda,

Fácil ter inspiração para sonetos, prosa e versos,
Mesmo que contigo meus passos tenham sido dispersos,
Se me deixares não saberia como agir, não ainda.

Enfim um soneto, depois de 3 meses *-*

Tristeza.

Tristeza
Triste é não te ter,
Triste é não poder te abraçar,
Beijar, abraçar, acalentar, mimar,
Acariciar, morder, apertar, enfim,
Não te ter pra mim,
Isso é triste,
Isso é
Tristeza.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Samba pra Distrair XXVI

São Gonçalo
Seu Jorge

Pretinha
Faço tudo pelo nosso amor
Faço tudo pelo bem de nosso bem (meu bem)
A saudade é minha dor
Que anda arrasando com meu coração
Não Duvide que um dia
Eu te darei o céu
Meu amor junto com um anel
Pra gente se casar
No cartório ou na igreja
Se você quiser
Se não quiser, tudo bem (meu bem)
Mas tente compreender
Morando em São Gonçalo você sabe como é
Hoje a tarde a ponte engarrafou
E eu fiquei a pé
Tentei ligar pra você
O orelhão da minha rua
Estava escangalhado
Meu cartão tava zerado
Mas você crê se quiser...

For you...

Desejo.

Vi quando você chegou silenciosamente do meu lado,
Jeito de criança, com olhar de mulher, fui arrebatado,
Completamente perdido não consegui parar de te olhar,
Não consegui disfarçar, você é quase uma miragem,
Linda, e ainda não conseguia parar de te olhar,
A vontade era de te atacar, te abraçar, te beijar,
Mas não podia, e de longe continuei a te admirar,
Você me tocou, e senti uma festa em meu coração,
Seu toque, seu cheiro, sua voz, tudo em você é lindo,
Alguns desejam o céu, eu só quero você de volta.

.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Samba pra Distrair XXV

Errei
Sururu na roda

Errei

Por minha culpa não te dei valor
Eu sei
Que machuquei o seu coração
Mas fui
Iludido por um falso amor
Que causou muito sofrimento e dor
E agora vejo a minha ingratidão
Volta pra mim, não faz assim
Nossa estoria de amor
Não pode ter sido em vão
Pois sem você, é tão ruim
Hoje eu venho te pedir perdão
Me perdoa meu bem
Que a saudade é tamanha
Se me deixa ficar
Eu prometo a você, serei só seu amor
Se você quiser
Largo da bohemia pra me redimir
Pois o nosso amor
É mais forte que o erro que eu cometi
Errei...

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Ao Perdão (à minha Pretinha)

Meus erros sufocaram todo o amor que tinha,
Você era só minha, apenas a minha pretinha,
Hoje não tenho teus beijos, nem teu calor, só há dor,
Dor da perca, dor da ausência, dor da saudade,
Do teu lado eu encontrei a felicidade, e não dei valor,
Você só me fez sorrir, e eu motivei suas lágrimas,
O amor não acabou, e disso tenho absoluta certeza,
Sei olhando nos teus olhos, vejo isso com clareza,
Não percamos tempo, vamos dar outra chance ao coração,
Vamos, que o amor anda junto com o perdão.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Cansado.

Acho que já não consigo sem você, essa vida por um fio,
Não agüento mais esses dias cheios do mais puro vazio,
Cansei dessa estrada, dessas noites cheias de nada,
Dessas madrugadas insones, quero de volta meu prazer,
Quero olhar para o jardim, ver e cuidar da minha linda flor,
Não ter que lembrar quem eu quero esquecer, fugir da dor,
O álcool não embriaga, o beijo não dá prazer, o abraço não da calor,
Foi-se o amor, a calma e a compreensão, só ficou a dor e o desgosto
Cada vez me sinto mais perdido, jogado em falsas ilusões,
Meu peito ainda queima só de lembrar do seu rosto,
Minha alma teima em juntar novamente nossos corações,
Quero de volta a vida que perdi quando você partiu.

terça-feira, 25 de maio de 2010

O Samba terminou

O samba terminou, é o fim do nosso amor,
Acabou a felicidade, iniciou-se a tristeza,
E com ela a dor e a aspereza da cidade,
Você levou sua beleza e deixou a saudade,
Levou seu calor, e pra mim nada deixou,
Você foi quem meu coração mais amou,
Destruiu meu jardim, sepultando o amor,
Ressuscitando assim, a tristeza e a saudade.
Não há orgulho, força ou coragem que faça desistir,
Quem o coração desesperado só pede para amar,
É triste, mas não existe nenhum outro caminho para ir,
É só sofrer, no mar de saudade padecer, no inferno cair.

Amor de verdade

Você é meu corpo, meu frio e meu calor,
Você é minha alma, o que eu conheço de beleza,
Minha rainha, minha plebéia e minha alteza,
Você é minha calma, e também minha aflição,
Minha historia, minha salvação e minha perdição,
É tudo que eu preciso e tudo que eu não quero,
É por quem eu choro, e por quem eu desespero,
E é seu também o meu sorriso mais sincero,
A minha maior decadência, e minha prosperidade,
Tu és Minha flor mais bela e mais amada,
Você é tudo e nada, companhia e saudade,
Tristeza e felicidade, meu amor de verdade.

Parnasiano como há tempos...

terça-feira, 18 de maio de 2010

Para você

Já não há o que esconder,
É o nosso jeito de ser, e de fazer.
Disfarçar em nada adiantará,
Toques, gestos, emoções, ações...
As reações são imediatas, dilatações e sensações,
Líquidos e sons, tremores e amores a mil,
Corações a contento, um olhar atento,
Um prazer que vem de dentro,
Que esmaga todo o resto,
Somos um só corpo, é quase um incesto.
Você parece uma criança,
Mesmo não sendo nada mansa,
Com esse jeito que nunca descansa,
E esse sorriso que me desmonta,
Esse beijo que te deixa quase tonta,
É só seu, e você inteira, só minha.

Quase Espiritual

Duas almas irmãs, com corpos de mentes pagãs,
O sacro e o profano viram um só,
A saudade e a tristeza antes dominavam,
Agora não passam de pó, teu abraço milagroso,
Esse beijo gostoso, que só você sabe dar,
É teu também esse jeito ímpar de amar,
Esse que há tempos me faz lembrar,
E que agora não passam de lembranças,
Tantas que não me deixam esquecer,
Antes eram só prazer, agora fazem sofrer,
Provar do céu, observar o paraíso, só consigo com você,
Com outra mortal nem tento, só com você esse alento
Não foste à primeira, mas é a mais importante,
Só você me tira essa tristeza do semblante,
Só você me faz ser menos infante,
Mais homem, mais humano, mais mortal.
Só por você tenho esse amor quase espiritual.

Poesia em Prosa

Condeno-me a admirar para todo sempre a beleza do seu olhar,
Assim quem sabe esquecer a loucura, a solidão, a lucidez e a multidão,
Condenado, vejo que qualquer palavra, qualquer som não passa de nada,
Teu corpo é o meu lugar, me perco sem querer me achar nessa estrada,
Esse cheiro de vida que você exala é perfume que quero sentir cada dia,
Abismado com tamanha beleza eu toco sua face para ter certeza que é real,
Tua cor, a cor que com certeza o pecado traz em sua face, e nele me desfaço,
E o que faço, é para que sejas minha, só minha, estrela sem divisões,
Juntar nossos corações fazê-los um só, nossos corpos também, assim renasço,
O destino pregando peças, fazendo ver quem antes era quase invisível.
Era tudo tão distante, mesmo estando ali do lado, era tudo tão incrível.

Inutilmente

Eu quero te esquecer,
Mas é só fechar os olhos eu vejo você,
Quase posso te tocar, é muito real,
Esse sentimento não pode ser normal,
Sonetos parnasianos, sambas sem tom,
Tudo me lembra você, nada faz esquecer,
Não era pra ser assim, era pra ter sido o fim,
Já que você saiu dizendo adeus,
Já que nem seus sonhos parecem com os meus,
Que meus passos não acompanham os teus,
Para você voltar, inutilmente já pedi até a Deus.

.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

O amor é feio.

O amor é triste, e inconstante,
Ele é maquiavélico e inebriante,
É uma droga, a mais torturante,
Dá uma falsa sensação de paraíso,
Para quando você menos esperar,
O fundo do inferno te apresentar,
No mar da saudade te lançar e afogar,

Uma vez acometido por esse desprezível mal,
Não adianta ser dos homens o mais racional,
Qualquer racionalidade é por ele suplantada,
Toda a razão é facilmente dilacerada,
Qualquer orgulho passa a ser inexistente,
O sol claro fica mais escuro que o anoitecer,
Por mais que tente, é impossível esquecer.

.

Sem Titulo

Observo-te de longe, como quem vê uma obra de arte,
Uma das mais caras, daquelas que nunca poderei ter,
Contemplo seu rosto maravilhado, quase com devoção,
Olhar-te é a única coisa que me acalma o coração,
Meus olhos cada vez mais maravilhados, só admiram,
O que minhas mãos sonham em um dia acariciar,
Mas você se vai, e sem querer caio novamente na solidão,
Os dias são mais longos, nada me faz esquecer.
Nada alivia a dor, não tenho minha inspiração,
Não tenho aquela flor que trazia beleza ao meu jardim,
Assim só o que me resta é a tristeza, sua partida foi o fim.

.

Canto sem Som.

O meu canto é um canto sem som,
A música é um barulho sem tom,
O jardim é um espaço sem nenhuma flor,
Minha cama é onde está sepultado o amor,
Não há mais dor mortal que me surpreenda,
Minha alegria agora não passa de lenda,
Um delírio, uma utopia quase sem razão,
A lua perdeu o brilho, nada incendeia o coração,
O sol não tem calor, só o velho frio quase mortal,
Aquele fervor, só sinto com teu beijo, é natural,
Sem você, minha vida não passa de um vazio letal.

.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Poesia sem titulo.

Falta alguém aqui do meu lado,
Libertando-me da dor da saudade,
Organizando meu mundo confuso,
Retirando da minha vida toda a amargura

Aquela que meu sono ainda tira.
Inunda meu mundo de carinho,
Nada é tão grande, tão sincero,
Diante da imensidão desse amor,
Até o universo vira um simples grão,

Tortura é viver sem você, sem teu abraço,
Enfim, sem você do meu lado me chamando de amor.

Até quando a vida desse jeito será incompleta?
Meu coração ainda anseia por você,
O fim da tristeza anda em conjunto com a sua volta.

Segredinho.

Alquimia de um abraço

Já não consigo fingir,
Não sei aonde nem como ir,
Já não consigo fugir,
Eu nem tento, cansei de lutar,
Mas não, não me arrependo de te amar,
Longe de você a saudade é um torpor,
A dor tem mais força que o amor,
Ai você chega com esse perfume de flor,
O amor tem mais força que a dor,
Vejo novamente o jardim encantado,
A cura do meu peito dilacerado,
O alívio da incomensurável calor,
O seu abraço tem a certa alquimia,
Esta, de transformar lágrimas em sorrisos,
De corrigir meu passos imprecisos,
Estancar o sangue já minguante,
Fazer uma vida inteira valer menos que um instante.

“...E o coração de quem ama, fica faltando um pedaço, que nem a lua minguante”

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Sonhos

Extasiado com teu abraço desfaço minha tristeza,
No egoísmo de te ter pra mim, me faço em avareza,
Tenho inveja até do sol que pode sempre te tocar,
Do vento que todos os dias vagarosamente segue a te beijar,
Sem ao menos aproveitar o doce sabor que ele possui,
Esse, que eu não esqueço nem nos mais amargos pesadelos,
Sonho com eles todos os dias, não há como esquecê-los,
Perde-los foi meu maior erro, e da sentença tento fugir,
Estar sem você por perto é minha perdição, não sei onde ir,
Não existe certo nem errado, tudo é a mesma monotonia,
Quando olho pra você só penso em recuperar minha alegria,
Amar e sentir você me amando, nem que seja só mais uma vez.

.

Poeminha II

Vem comigo, esquece o que até o tempo já esqueceu,
Vem, toma de volta esse amor que sabes que é todo seu,
Em nossa volta o mundo ainda exala amor, parece natural,
As lembranças boas podem de novo virar rotina, um sonho real,
Traz ao meu mundo de volta toda a cor, esquece o que passou,
Esquece a dor que um dia te causei, segue comigo onde eu for,
Esquece o mundo, esquece tudo, vem ser de novo a minha flor,
Traz esse perfume sem o qual eu não consigo viver, por favor.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Poesia Sem Titulo IV

Olho para você com a admiração e o amor que sempre tive,
Agora você esta longe, seu coração ficou distante do meu,
Seu corpo mais ainda, ele é o templo para qual emudeço,
Teu beijo é para mim a utopia cada vez mais distante,
A tristeza é tão profunda, nem lembro como é a felicidade
Quando sinto teu abraço nem que seja por um instante,
Quando em um fraquejo seu, sinto o calor do teu beijo,
A sensação é indescritível, não existem adjetivos suficientes,
Chego a perder a lucidez, embriagar-me com teu cheiro,
Esquecer a razão e enganar o coração em tão pouco tempo,
Nesses segundos minha vida volta a ter um pouco de sentido,
Lembro de toda a felicidade que existiu, um passado esquecido,
Mas que pra mim é vivo, ainda sonho em descansar no seu leito,
O seu amor se esvaiu, mas o meu que ainda grita em meu peito.
.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Samba pra Distrair XXIV

Papel Pincipal
Almir Guineto / Luverci Ernesto / Dedé Pataiso

Se eu fizesse o papel Principal, nos teus sonhos
Ah!O final ia mudar
Sonharias sem parar
Não teria pesadelos
Expulsava teus delírios
Desmanchava-me em zelos
Pra cuidar dos teus suspiros
E comigo sonharias, só comigo amor...

Teus olhos me passam relatos de fácil leitura
Me revelam teus hiatos
De afeição nas aventuras
Me contam que a velha saudade ainda te guia
Não te traz felicidade
Um amor a cada dia

.

domingo, 25 de abril de 2010

Poesia pra Flor II

Meu olhar só se encanta com o teu,
Pode o tempo passar, o meu amor ainda é todo seu,
Só isso não muda, a saudade não estanca, não ameniza,
Ao te ver a vontade que tenho é de para o mundo gritar,
Que te amo muito, e que para todo o sempre vou te amar,
Mas tenho que me segurar, e me contento em só te olhar,
Quando te abraço sinto explodir em mim o verdadeiro amor,
O amor, que só sinto por você, minha amada e linda flor.

.

Muito rimadinho eu sei, mas idai?

quinta-feira, 15 de abril de 2010

...

O tempo passa, o corpo vez ou outra esquece,
A mente? ah, essa sempre padece,
O coração? de saudade constantemente perece,
O amor? esse teima, e ainda permanece.
O tempo passa, a ferida finge que cicatriza,
A dor não passa, não vai embora, só ameniza,
Você levou consigo a felicidade,
Levou também quase tudo que tinha de bom,
Não há sorrisos, Minha voz não tem nem som,
Toda a beleza estava naquela doce e linda flor,
Aquela, que quando se foi só deixou tristeza e dor.

"Quem diria que por uma flor, um jardim inteiro morresse."

Soneto da madrugada III

Não consigo fingir, estou quase morto,
Viver assim certamente não é viver,
Minha alma só descansa no teu corpo,
No teu abraço, só ele me dá prazer,

Só em te olhar já me sinto novamente completo,
Você do meu lado, de amor me sinto repleto,
Cheio de paixão, É inútil negar, tampouco disfarçar,
Meu coração transborda, nota-se em meu olhar,

Quando te toco brotam sonetos em minha mente,
A poesia triste, diferente do que era, tão contente,
Tudo é triste, as musicas lembram um tempo bom,

Tempos que se foram, aqueles que os sambas tinham tom,
Que o amor imperava, que tristeza nem perto chegava,
Tempos de paixão, tempos que o seu coração, o meu adorava,

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Poesia Sem Titulo (complemento das flores)

Oi meu amor, esses versos são pra dizer,
O quanto sua partida me fez sofrer,
Que a saudade não me deixa viver,
A tristeza antes distante virou sina
A poesia métrica já virou prosa,
Que já murchou aquela rosa,
E o samba não tem mais rima,
Nem ritmo, harmonia ou tom,
Você levou tudo que era bom,
Só ficaram as marcas de batom,
A eterna cicatriz em meu peito,
Já não sei nem mesmo pensar direito,
Queria você aqui de qualquer jeito,
Preenchendo esse lugar vazio a mesa,
Só assim esqueceria essa tristeza,
Só assim enfim viveria novamente.
E encontraria a felicidade eternamente.


Poesia Incindental - Sem nome.
"Você é minha flor, a mais linda do jardim, a flor que eu mais quero,
Receba esse presente sincero, como um sinal de quase desespero,
Que cada pétala sussurre ao seu ouvido um “eu te amo” sincero,
Que o perfume te lembre o aroma da nossa antiga paixão,
Que elas lhe façam suspirar, como eu sempre suspiro por você,
Eu só lembro-me de você linda e feliz ao meu lado, então faço um pedido,
Guarde sua imagem mais bela, mesmo quando o tempo as murcharem."

.

Soneto a Minha Flor VIII

Quando te vejo não consigo decifrar se é real, sonho ou ilusão,
Mesmo você querendo, ficar longe de você já não consigo,
Por mais que fuja, teu corpo ainda é meu melhor abrigo,
Não consigo me desvencilhar, a paixão me embriaga o coração,

O meu jardim agora é só tristeza, não há aquela que era a razão,
Por mais que eu tente, nada é completo, nada traz emoção,
É tudo uma falsa alegria, sorrisos falsos, mentiras, nada é real,
É mais que paixão, Meu amor por você não é só carnal,

Minha flor, sem você meu peito é só dor, dia sem luz, vida sem cor,
O gelo da saudade quase me mata, tudo é muito frio sem teu calor,
Não há felicidade, ela só existe nos seus braços, teu beijo e abraço,

A saudade sempre me traz você, ainda é por você tudo que faço,
Teu amor era minha vida, agora é um delírio às vezes até inconsciente
Mesmo que tente fugir, em sua vida estarei sempre presente.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Soneto a minha flor VII

A dor vai te mostrar que eu não sei o que é fingir,
Quando você olhar para o lado e eu não sorrir,
Quando você sentir que o amor não é nada eterno
Com você estava no céu, e hoje visito o inferno,

Minha flor o seu perfume ainda esta na minha porta,
A saudade é uma espada que corta com fino ardor,
Sentimento nefasto, cruel, minha alma já és morta,
Fria e pálida, Quando se foi levaste todo o meu calor,

Fico parado esperando o alvorecer da sua chegada,
Por enquanto é só noite nessa triste existência magoada,
Até meu coração me esqueceu, ele junto com você partiu,

Não consigo fugir desse amor que há tempos surgiu,
Amiga e amante, não há mais como desvencilhar,
O tempo pode passar, posso até fingir, mas só sei te amar.

Parnasiano level 154...

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Samba pra distrair XXIII

O Show Tem Que Continuar
Arlindo Cruz/Sombrinha/Luiz Carlos da Vila

Teu choro já não toca meu bandolim
Diz que minha voz sufoca teu violão
Afrouxaram-se as cordas e assim desafina
Que pobre das rimas da nossa canção
Hoje somos folha morta
Metais em surdina
Fechada a cortina Vazio o salão

Se os duetos não se encontram mais
E os solos perderam a emoção
Se acabou o gás
Pra cantar o mais simples refrão

Se a gente nota
Que uma só nota
Já nos esgota
O show perde a razão

Mas iremos achar o tom
Um acorde com lindo som
E fazer com que fique bom
Outra vez o nosso cantar
E a gente vai ser feliz
Olha nós outra vez no ar
O show tem que continuar

Nós iremos até Paris
Arrasar no Olímpia
O show tem que continuar

Olha o povo pedindo bis
Os ingressos vão se esgotar
O show tem que continuar

Todo mundo que hoje diz
Acabou vai se admirar
Nosso amor vai continuar

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Paixão, amor e saudade.

O amor sempre acaba, o tempo só o estraga,
A paixão é só uma mera ilusão, entorpece a alma,
Ceifa toda a calma, nos leva ao céu, é o inicio,
Prepara a alma para o amor, tudo fica sendo pra agora,
Quando ele chega tudo devora, a razão se apavora,
O orgulho se amedronta, e tudo mais vai embora
A paixão sempre é o inicio da historia, e da perdição,
O amor acaba com a tranqüilidade, maltrata o coração,
A saudade vem logo após, é o pior dos sentimentos,
Prolonga a dor, Deixa triste todos os momentos,
Segundos viram dias, e os dias, anos ou séculos,
A saudade fragiliza o que se diz mais forte,
Faz com que esqueçamos a vida, e desejemos a morte.

.

Samba pra distrair XX

Quando Chegares
Carlos Lyra

Quando chegares aqui
Podes entrar sem bater
Ligue a vitrola baixinho
Espera o anoitecer

Logo que ouvires meus passos
Corre pra me receber
Sorri, me beija e me abraça
Não me perguntes por quê

Quando estiver em teus braços
Pensa somente em nós dois
Fecha de leve os teus olhos
E abre os teus lábios depois

E quando já for bem cedinho
Não quero ouvir tua voz
Sai sem adeus, de mansinho
Esquece o que ouve entre nós

Ainda.

Penso em você no passado como algo em meu futuro,
Mesmo que seja algo distante, como um tiro no escuro,
Sem direção, sem pontaria, mas querendo sempre te acertar,
O tempo passou, e eu continuo sabendo apenas te amar,
Mesmo distante, continuo te vendo em quase todo o lugar,
Escuto nossas musicas, passeio em nossos lugares,
Sem querer procuro você, sem querer vivo nossas vidas,
Nessas idas e vindas, relembro nossas historias esquecidas,
E nos meus sonhos ainda estás ao meu lado, sempre linda,
Quando te vejo, mal consigo respirar, fico meio irracional,
Olho pra você, e sinto o meu coração acelerar, é quase fatal,
Nos seus olhos vejo que nossa historia não chegou ao final.


não é primeiro de abril...

terça-feira, 30 de março de 2010

Soneto Nº 59

Seu olhar me dá a certeza que não posso pensar em desistir,
Somente o amor que sinto já não é suficiente para te seguir,
Às vezes me vejo em guerras homéricas com meu coração,
Querendo não sentir, pedindo a todos os deuses o seu perdão,

Não adianta mais pedir, só a você quero seguir, mesmo sem querer,
No breu de minhas lembranças, são só seus olhos que consigo ver,
Depois de meses em turbulentas águas, no seu abraço encontro o remanso,
Noites sem fim em lutas com a saudade, teu peito seria enfim meu descanso,

Teu abraço é o acalanto que minha alma precisa, necessidade primordial,
Teu encanto ainda é o mesmo de tempos atrás, beleza transcendental,
Tua mão leva-me ao céu ao me tocar, é mágica, feitiço do amor,

Quando partiste entristeceste meu semblante, do meu céu tirou a cor,
Você já foi meu amor, hoje tu és a flor que falta em meu jardim,
Cansei de me contentar com tuas migalhas, hoje só quero ouvir teu sim

.

domingo, 28 de março de 2010

Insônia

Na madruga sinto teu cheiro em todos os meus travesseiros,
Lembranças ainda frescas, mesmo tendo passado meses inteiros,
Andanças, que em nada me fazem esquecer nossas lembranças,
A solidão é quase um desespero, saudade que nunca passa,
Os temores são os mesmos, a felicidade quando vem é escassa,
A cidade lembra você, o vento, a chuva tudo que vai ou passa,
Samba, prosa ou poesia, qualquer palavra é pra você, qualquer verso,
Ainda imerso no mar de amor que me afoguei e não sei me salvar,
Há tempos desaprendi a viver, só sei te amar.

#toma

quarta-feira, 24 de março de 2010

Poder Hipnótico

Ao te ver, não consigo entender tamanha beleza,
Fico hipnotizado, não consigo pensar com clareza,
Perco a razão, e de nada o coração tem certeza,
Tento seguir, e sempre me pego te olhando,

Ali parado, quase extasiado com seu encanto,
Fico ali parado no meu canto, quase sem reação,

Querendo dominar o coração, controlar a emoção,

Sua boca a minha atrai, e dela não consigo mais fugir,
Mesmo que conseguisse, não teria pra onde ir,

Os caminhos novamente se cruzaram
E não querem nem conseguem se separar

quinta-feira, 18 de março de 2010

Samba pra distrair XIX

De Todas as Maneiras
Chico Buarque

De todas as maneiras que há de amar
Nós já nos amamos
Com todas as palavras feitas pra sangrar
Já nos cortamos
Agora já passa da hora, tá lindo lá fora
Larga a minha mão, solta as unhas do meu coração
Que ele está apressado
E desanda a bater desvairado
Quando entra o verão

De todas as maneiras que há de amar
Já nos machucamos
Com todas as palavras feitas pra humilhar
Nos afagamos
Agora já passa da hora, tá lindo lá fora
Larga a minha mão, solta as unhas do meu coração
Que ele está apressado
E desanda a bater desvairado
Quando entra o verão

.

terça-feira, 16 de março de 2010

Eterno Retorno II

Começar de novo,
Reler os mesmos poemas,
Temer os mesmos temores,
Recusar antigos favores,
Remoer antigos rancores,

Recomeçar,
Atirar-se em meio à faísca,
Lançada do já gasto e pálido coração,
De quem agora lhe vê como irmão,
De quem você já não tem o perdão,
De quem você ainda pensa, em vão,

Começar de novo,
Gostar de tudo o que gosta o povo,
Circundar o que antes era lodo,
Esquecer a cama, mudar a trama,
Engolir o drama, degustar a lama,
Tentar de todas as formas se reerguer,

Recomeçar,
Pra quem sabe um novo amor encontrar,
De novo o céu visitar,
As trombetas dos anjos escutar,
E depois...
De novo o inferno visitar,
De novo como um tolo acabar,
Inebriado, dilacerado, como um cachorro, jogado, na sarjeta.



Do caralho.

domingo, 14 de março de 2010

Samba pra destrair VIII (Republicação)

Trocando em Miúdos
Chico Buarque / Francis Hime


Eu vou lhe deixar a medida do Bonfim
Não me valeu
Mas fico com o disco do Pixinguinha, sim!
O resto é seu

Trocando em miúdos, pode guardar
As sobras de tudo que chamam lar
As sombras de tudo que fomos nós
As marcas de amor nos nossos lençóis
As nossas melhores lembranças

Aquela esperança de tudo se ajeitar
Pode esquecer
Aquela aliança, você pode empenhar
Ou derreter

Mas devo dizer que não vou lhe dar
O enorme prazer de me ver chorar
Nem vou lhe cobrar pelo seu estrago
Meu peito tão dilacerado

Aliás
Aceite uma ajuda do seu futuro amor
Pro aluguel
Devolva o Neruda que você me tomou
E nunca leu

Eu bato o portão sem fazer alarde
Eu levo a carteira de identidade
Uma saideira, muita saudade
E a leve impressão de que já vou tarde.


Esse é um dos sambas mais lindos do chico, na minha humilde opinião.

sexta-feira, 12 de março de 2010

Eterno Retorno

Nessas idas e vindas dessa estranha e quase sempre infortuna vida,
Nesse emaranhado de sentimentos que ela por maldade nos oferece,
Que teimamos em nos enveredar, e por tabela, sempre nos machucar,
O mais traiçoeiro é o amor, ele sempre retira por completo a razão.
Toma de açoite o coração, retira o ar, faz tudo ser sempre em vão,
O amor é maravilhoso, mas também pode ser mesquinho e egoísta,
Não existe caminho certo, por mais que seja obvio ou a cabeça insista
Ao perdemos um amor, nada tem beleza, na há como pensar com clareza,
Lutar é inútil, se iludir com algum delírio fútil é para si mesmo mentir,
É no abismo da ilusão se jogar, na infindável tristeza cair, sem se salvar,
O mais certo é a tristeza viver, até outro amor encontrar, pra voltar a sofrer.

.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Saudade II

Saudade corta o peito do mais forte,
Deixa qualquer um sem norte,
Faz preferirmos a morte,
Esmaga o semblante outrora de alegria,
Amplifica ainda mais a madrugada fria,
Destrói os sonhos e me traz a nostalgia,
Controla o tempo, fazendo-o torturante,
A dor vem a todo instante, é cruel,
Já nem vejo direito as cores do céu,
Desse amor virei réu, e a saudade fui condenado.

À amiga

Conselheira, a amiga que segura os momentos de depressão,
Aquela que da força, e que diz coisas que acalmam meu coração,
Mas que é sempre sincera, me fazendo confrontar a realidade,
Destrói qualquer mau sentimento que existia com seu sincero sorriso,
Está presente a qualquer momento, cedo ou tarde, sempre que preciso,
Dá coragem a minha alma às vezes covarde, e continuamente triste,
Pra ti, mostro alguns sonetos tristes que guardei na gaveta,
Pra você minha amiga, que carinhosamente chamo de “preta”


poema pra minha amiga Fernanda, um ser humano que merece o maior respeito do mundo, linda por dentro e por fora.
Promessa é divida o/

terça-feira, 9 de março de 2010

Soneto às mil e novecentas horas

Oh luz que penetra forte ceifando a malfadada escuridão,
Queria eu que com tal força tu trouxesse minha amada,
E acabasse com essa dor que consome meu pobre coração,
Talvez com tal ato, tu recuperaste minha alegria retirada,

Essa minha tristeza que você diz infundada, é real e completa,
Ela vem da alma, que só com você de felicidade ficava repleta,
Alma esta que hoje já nem consigo precisar se ainda existe,
Não há amor ou felicidade, somente a vida que ainda resiste,

Seus beijos eram meu alimento, e da fome do amor hoje padeço,
Não te culpo, afinal todo esse mal que sinto, certamente mereço,
Volta e meia meus pensamentos teimam em viajar, e toco sua face,

A saudade é um mal incurável, por mais que o tempo inutilmente passe,
Contáveis sorrisos nessas pouco mais de mil e novecentas badaladas,
E nesse mesmo tenebroso tempo, incontáveis lagrimas despejadas.

.

sábado, 6 de março de 2010

Samba pra distrair XXII

Errei
Sururu Na Roda

Errei
Por minha culpa não te dei valor
Eu sei
Que machuquei o seu coração
Mas fui
Iludido por um falso amor
Que causou muito sofrimento e dor
E agora vejo a minha ingratidão

Volta pra mim (Volta pra mim)
Não faz assim (Não faz assim)
Nossa estoria de amor
Não pode ter sido em vão

Pois sem você (Pois sem você)
É tão ruim (É tão ruim)
Hoje eu venho te pedir perdão

Me perdoa meu bem
Que a saudade é tamanha
Se me deixa ficar
Eu prometo a você, serei só seu amor
Se você quiser
Largo da bohemia pra me redimir
Pois o nosso amor
É mais forte que o erro que eu cometi

Errei...

Soneto distante

Quando penso em você, penso em nós dois, a perfeita união,
Mas os pensamentos são só loucuras, não há exatidão,
Sigo perdido, sem metade do coração, e sem felicidade qualquer,
Toda a que eu tinha com você se foi, a dor está comigo onde eu estiver,

Nosso amor no tempo você esqueceu, deixou o mundo o levar,
Não consigo teu amor reconquistar, você não quer no amor acreditar,
Tudo o que fiz foi chorar, agora só o que me resta é desatinar,
Enlouquecer, desesperar, estados que me acostumei a estar,

Quando te vejo, mesmo distante, ainda vejo o meu amor,
Querendo com o fundo da minha alma sentir o teu calor,
Mesmo em vão, infelizmente só consigo te amar,

Tentei de todas as maneiras me retratar, até sem querer,
Você não consegue mais conjugar o verbo perdoar,
E eu, perdido em meio à tristeza, esqueci o verbo viver,

sexta-feira, 5 de março de 2010

Samba pra distrair XXI

Eu Não Consigo Ser Alegre O Tempo Inteiro
Wander Wildner


Você sempre surge em minha mente
Sempre você e ninguém mais
É de você que eu me lembro
Sempre você e ninguém mais
E ninguém mais, e ninguém mais

Eu sempre tento e não consigo
Então as vezes quando a noite chega
Eu fico só comigo mesmo
E só me resta a saudade como companhia
Como companhia

Eu não consigo ser alegre
O tempo inteiro
Eu não consigo ser alegre
O tempo inteiro
Eu não consigo

Você sempre surge em minha mente
Sempre você e ninguém mais
É de você que eu me lembro
Sempre você e ninguém mais
E ninguém mais, e ninguém mais

Você diz que não me quer mais
E que agora eu sou seu grande amigo
Você me quer só a metade
Mas pra mim você está em toda a parte
Em toda a parte

Eu não consigo ser alegre
O tempo inteiro
Eu não consigo ser alegre
O tempo inteiro
Eu não consigo

Eu vo fazer o iê-iê-iê
Eu vo fazer o iê-iê-iê
Eu sou o rei do iê-iê-iê

.

Lembranças

Meus olhos vermelhos de tanto por você chorar,
Meus braços desconsolados por não ter o teu abraço,
Ainda te amo, digo sem pestanejar, sem o menor embaraço,
Mesmo tentando, até hoje não pude desfazer esse laço,
Sem você todo dia morro, só de pensar em você renasço
Minha alma desfalecida quase sem forças por você grita,
Você não responde, ignora o grito que o amor no céu grafita,
Esconde do mundo um belo espécime do verdadeiro sentimento,
E para mim continua sendo um tormento, não te ver ao lado,
Desesperado, agora te vejo até em meus pesadelos,
Apaixonado, sempre te vi em meus sonhos.

quarta-feira, 3 de março de 2010

Samba pra distrair XX

Rugas
Nelson Cavaquinho

Se eu for pensar muito na vida
Eu morro cedo, amor
Meu peito é forte
Nele eu tenho acumulado tanta dor
As rugas fizeram residência no meu rosto
Não choro
Pra ninguém me ver sofrer de desgosto

Eu que sempre soube
Esconder a minha mágoa
Nunca ninguém me viu
Com os olhos rasos dágua
Finjo-me alegre
Pros meus prantos ninguém ver
Feliz daquele que sabe sofer.

Salve Nelson Cavaquinho, salve Mangueira...

Poesia sem titulo.

Já não caminhas na mesma estrada que eu,
Já não sente aquele amor, que sabia que era só teu,
O meu, ainda é o mesmo, ainda é muito forte,
Continuar assim, juro que prefiro a morte,
Para mim, o tempo teima em passar,
Ainda sinto seu calor, só aumenta meu penar,
Meu peito é só dor, só penso em te amar,
A cada verso sinto minha alma inflamar,
no meu jardim, ainda vejo minha flor,
A cada passo que você dá sem mim,
A cada anoitecer prevejo meu fim,
Nos meus sonhos você só diz sim,
Tento, mas só consigo pensar assim,
A saudade não me deixa ver que você se foi.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Distancia (ou "o império dos sonhos")

A distância não acaba o amor verdadeiro,
Ela é a mãe da saudade, aumentando a dor,
Ela me faz te seguir onde você for,
Me faz sonhar, e nos meu sonhos você esta aqui,
Neles eu ainda posso te tocar,
Seus olhos ainda são o meu guia,
Sua voz ainda é minha sinfonia,
Seu corpo, ainda me delicia,
Seu gosto ainda me embriaga,
Seu cheiro ainda me entorpece,
Seu abraço quase me desfalece,
e você ainda é a flor mais linda do meu jardim,
As lembranças vão assim, desatinando,
E a alegria vai assim, acabando.

O medo

Ele não esta mais aqui,
O seu espaço foi tomado completamente,
E tão sublimemente ele foi embora,
Que nem notei que um dia ele existiu,

Agora não há mais nada se não o amor,
Este sentimento às vezes nefasto e inconstante,
Que pode ser tão sublime, e tão infernal,
Mas que transmite uma felicidade anormal,
Esse amor, esse que me faz te ver diferente,
O amor que trás esse sentimento que a gente sente,
Ele é maior que qualquer outro sentimento,
É maior que qualquer medo,
É maior que tudo.

.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Samba pra distrair XIX

Não Vale Nada
Velhas Virgens

Hoje eu encontrei
Um velho retrato seu

Por onde andarão os olhos
Que um dia foram meus
A rua sem você
Vazia é quase nada

Escura suja e triste

Recordação maltratada


Bêbado, rouco e louco

Eu danço entre os carros

Na marginal congestionada

Grito blasfemo

Paixão e ódio
Mágoa, despeito

Uma mulher não vale nada

E os dias passam sedentos
Nessa imensa mesa de bar

Copos vazios
Que brindaram saúde

A quem já não me quer mais
Não me quer mais


*“Toma um fósforo Acende teu cigarro!
O beijo, amigo,
É a véspera do escarro

A mão que te afaga

É a mesma que te apedreja

Se alguém causa ainda pena a tua chaga

Apedreja essa mão vil que te afaga,

Escarra na boca que te beija!”

*Versos Íntimos
Augusto dos Anjos (1884/1914)

O tempo que infelizmente existe.

Às vezes eu só queria que o tempo parasse,
Ou melhor, que ele nem existisse,
Fosse apenas um delírio dos poetas,
Aspiração dos intelectuais,
Um desejos dos normais,
Quem sabe assim a dor finalmente acabasse,
Se o tempo não existisse,
A saudade assim nem existiria,
As lembranças seriam apenas bons sonhos,
E os sonhos, apenas boas lembranças.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Samba pra distrair XVIII

Mesmo que mude
Bidê ou balde

Ela vai mudar,
Vai gostar de coisas que ele nunca imaginou
Vai ficar feliz de ver que ele também mudou
Pelo jeito não descarta uma nova paixão
Mas espera que ele ligue a qualquer hora

Só pra conversar
E perguntar se é tarde pra ligar
Dizer que pensou nela
Estava com saudade
Mesmo sem ter esquecido que

É sempre amor, mesmo que acabe
Com ela aonde quer que esteja
É sempre amor, mesmo que mude
É sempre amor, mesmo que alguém esqueça o que passou

Ele vai mudar,
Escolher um jeito novo de dizer "alô"
Vai ter medo de que um dia ela vá mudar
Que aprenda a esquecer sua velha paixão
Mas evita ir até o telefone

Para conversar
Pois é muito tarde pra ligar
Tem pensado nela
Estava com saudade
Mesmo sem ter esquecido que

É sempre amor, mesmo que acabe
Com ele aonde quer que esteja
É sempre amor, mesmo que mude
É sempre amor, mesmo que alguém esqueça o que passou


Mas um pra galeria "não é samba mas tá valendo..."