quarta-feira, 1 de abril de 2009

Dos Três Mal Amados

O amor comeu meu nome, minha identidade, meu retrato,
O amor comeu minha certidão de idade, minha genealogia, meu endereço,
O amor comeu meus cartões de visita, 
O amor veio e comeu todos os papéis onde eu escrevera meu nome,
O amor comeu minhas roupas, meus lenços e minhas camisas,
O amor comeu metros e metros de gravatas,
O amor comeu a medida de meus ternos, o número de meus sapatos, o tamanho de meus chapéus,
O amor comeu minha altura, meu peso, a cor de meus olhos e de meus cabelos,
O amor comeu minha paz e minha guerra, meu dia e minha noite, meu inverno e meu verão,
Comeu meu silêncio, minha dor de cabeça, meu medo da morte...
João Cabral de Melo Neto

Um comentário:

O Peregrino disse...

Gostei dos seus textos e de seus pensamentos sobre o amor, pra mim, a vida sem amor não vale a pena.
Assinei o feed do blog...
acho que vc vai gostar do meu blog também: http://peregrinosonline.blogspot.com/
Tem umas poesias legais.
grato.