quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Soneto Nº 52

Na vida eu tenho muita sorte, porque tenho você, és a minha realeza,
Por mais que seja forte, para mim é sempre minha florzinha indefesa,
Meus sentimentos agora vejo com clareza, é o amor suplantando tudo,
Diante da tua beleza saio de mim, não penso em nada, chego a ficar mudo,

Embriagado com teus carinhos eu sigo nessa jornada delirante de emoções,
Não sei se existe um deus, caso exista, foi ele que juntou nossos corações,
Sonetos e mais sonetos não conseguem traduzir o que sinto, é celestial,
Ao passo que o desejo carnal que sinto por você é quase sobrenatural,

Esses anseios volúpiosos, que nosso abraço desperta mesmo sem querer,
Andei a esmo pelo mundo procurando o amor, eu não queria perceber,
Que era você que eu procurava, minha alma gritava, meus olhos não te viam,

Também não via que são teus olhos que há muito tempo me guiam
Beijei-te quase sem querer, e hoje mesmo que queira não consigo te deixar,
Depois de te beijar, estou quase enfeitiçado, não conseguiria deixar de te amar.

.
Saído do forno agoraaa =D

2 comentários:

Beth disse...

Que soneto bonito!!!
Um misto de romantismo, sensualidade...puro desejo.

beijos

Joyce ~ disse...

Que liindos teus sonetos! *-*